Município de Alagoas comemora protagonismo de alunos

07/12/15 //

*Por Marina Lopes

Quando o ônibus escolar estacionou, meninas e meninos desceram eufóricos. Na tarde do dia 2 de dezembro, o veículo que transportava alunos da rede pública municipal de São Miguel dos Campos, a quase 60 km de Maceió (AL), tinha feito outro caminho. Ao invés de seguir para escola, o ponto de parada foi o Clube Canavieiros. Lá, os primeiros resultados de trabalhos desenvolvidos no município durante o ano seriam apresentados à comunidade.

Em um local com aparência de galpão antigo, projeções de vídeos, tecidos coloridos, bexigas e cartazes pendurados nas paredes chamavam atenção de quem passava. Mais do que objetos de decoração, eles serviram de suporte para a apresentação de diferentes projetos – de atividades de reciclagem ou criação de horta a trabalhos feitos com auxílio de tecnologia, como plataformas e dispositivos móveis. “Tem chegado muitas coisas pra gente aprender melhor”, explicava a aluna Rhaiany Silva Santos, 12, do sétimo ano da Escola Municipal Rui Palmeira.

Há dois anos, o município começou a fazer um diagnóstico da sua realidade educacional para identificar os principais desafios e potencialidades do local. Em uma construção coletiva, o levantamento deu origem ao Plano Intersetorial pela Educação de São Miguel dos Campos, lançado em novembro de 2014 com o objetivo melhorar a qualidade de vida e assegurar o desenvolvimento de crianças, adolescentes e jovens da região.

Crédito: Marina Lopes

Crédito: Marina Lopes

Durante todo o dia, os estudantes realizaram performances de dança e teatro, como capoeira, dança de rua e até a releitura do tradicional conto de fadas A Bela e a Fera. Quase mil pessoas circularam pelo espaço, entre alunos, educadores, familiares e membros da comunidade. Representando o poder público, estiveram presentes o prefeito George Clemente, a secretária municipal de Educação, Maria do Amparo Carvalho, e o vice-governador do Estado de Alagoas e secretário estadual de educação, Luciano Barbosa.

Novos escritores

Havia muita coisa acontecendo ao mesmo tempo, mas ninguém roubou tanto a cena quanto os 197 jovens escritores que lançaram seus primeiros livros, feito que, segundo o prefeito, pela quantidade de novos autores deveria entrar para os famosos recordes do Guinness Book. Com roupas de festa e a presença de familiares, os jovens realizaram uma sessão de autógrafos das suas obras. A empolgação dos novos escritores chegava a contagiar, convertendo-se em lágrimas, sorrisos orgulhosos e olhares atentos para as histórias redigidas por meninos e meninas da rede pública do município.

Ao caminhar pelo espaço, o vice-governador ficou admirado quando foi presenteado por um aluno com um livro autografado por ele. “Para uma criança, era aparentemente inimaginável conseguir se tornar autora de um livro”, mencionou enquanto conversava com o Porvir. A professora de português Maria Cleide Marques, da E.E. Rui Palmeira, que nunca tinha tido a oportunidade de alcançar esse feito conseguiu concretizar um pedaço do seu sonho ao ver a realização dos alunos. “Foi como se eu também tivesse realizado meu sonho por meio deles”, contou ela, que não perdeu a esperança de escrever.

Crédito: Marina Lopes

Crédito: Marina Lopes

Com camisa social e gravata, o aluno do nono ano José Adriano, 14, da Escola Municipal Luzinete e Lindalva Jatobá, estava acompanhado da mãe Márcia de Oliveira, que não escondia a satisfação em ver o seu filho lançando o primeiro livro. “Como mãe, eu me sinto muito orgulhosa de ver ele progredindo. É uma novidade ver meu filho escrever um livro”, dizia. Para o menino, a experiência também era nova, tanto quanto a do personagem principal do seu livro que saiu da fazenda para conhecer o mundo. “Nunca tinha pensado que poderia escrever um livro antes”, contou o novo autor.

Durante o ano letivo, segundo o professor Luís Junqueira, idealizador do projeto, os problemas de infraestrutura e tecnologia para usar a plataforma Primeiro Livro foram mínimos diante da criatividade dos alunos que até escreveram parte dos livros à mão.“O que me emociona é ver a participação família. O orgulho de abrir um livro e dizer: fui eu que escrevi. Isso me enche os olhos”, disse.

Concurso de projetos

Em um dos espaços reservados para expor os trabalhos, alunos da Escola Municipal Rui Palmeira apresentaram um vídeo com seus desejos para a escola do século 21. “Queremos a escola com mais tecnologia para ajudar a gente nos estudos”, defendia Embert Fernandes dos Santos, 13, do sétimo ano. “Antes as pessoas usavam coisas muito antigas, tipo a senhora que está aí escrevendo à mão”, comentou o menino, de forma espontânea, ao olhar para o bloco de anotações utilizado durante a reportagem.

Junto com seus colegas, Embert segurava um tablet e explicava o curta-metragem produzido por eles. Ao lado, outro grupo da escola contava sobre uma campanha de reciclagem que idealizaram. Os trabalhos da Rui Palmeira foram uns dos cinco concorrentes do Concurso de Projetos das Escolas de São Miguel dos Campos, organizados pela plataforma Wikidu, que é utilizada como ferramenta de apoio para a realização de projetos em oito escolas do município.

insti smc 03

Evento em São Miguel dos Campos comemora protagonismo dos estudantes

Enquanto o Porvir andava pelo espaço, uma aluna de 11 anos se aproximou e disse: onde você mora tem horta? A pergunta lançada por Amanda Nascimento foi uma espécie de convite para ouvir sobre o projeto feito pelos alunos da Escola Municipal José Marcos da Rocha.

Entre muitas propostas criativas, o prêmio de R$1.000 ficou com a Escola Municipal Dr. Iramilton Leite, que foi representada por trabalhos de duas equipes, um registro fotográfico sobre a realidade do Loteamento Hélio Jatobá, vencedor do concurso, e uma reportagem sobre os sonhos para o futuro dos estudantes de São Miguel dos Campos.

Também foram premiados cinco alunos com melhor desempenho no simulado da Prova Brasil. Eles foram realizados pela plataforma Meu Tutor, com a participação de 797 estudantes, de nove escolas municipais da região.

Além dos projetos com apresentações conduzidas pelos alunos, o evento também abriu espaço à divulgação dos resultados de ações com articulações intersetoriais do município alagoano, incluindo iniciativas de fortalecimento da educação integral, melhoria da leitura, participação da família, protagonismo juvenil e reformulação do ensino fundamental 2.

“Eu estou sinceramente admirado da capacidade de mobilização que esses instrumentos conseguem trazer para dentro de uma escola. Temos que replicar esse modelo”, disse o vice-governador, que anunciou um plano para construção de uma escola de ensino médio no município.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>