Inspirare lança guia para promover encontros entre empreendedores e educadores

06/09/17 //

,

A relação entre educadores e empreendedores é essencial para o desenvolvimento de soluções digitais que impactem o aprendizado e a concretização de inovações educacionais na escola. Embora todos trabalhem com educação, eles têm referências diferentes, enfrentam rotinas diversas e até falam cada um de um jeito. Foi pensando nisso que o Porvir/Inspirare, em parceria com Criamundi, lançaram o toolkit Apreender na Prática – Como promover conexões produtivas entre empreendedores e educadores, disponível no especial Apreender, do Porvir, que orienta a organização de oficinas com a participação dos dois públicos.

A apresentação do guia aconteceu durante o 11º Conecte-c, evento realizado pelo CIEB (Centro para Inovação da Educação Brasileira), que reuniu nesta terça-feira (5) cerca de 70 integrantes do ecossistema de educação, como empreendedores, gestores, educadores e pesquisadores. Para discutir os desafios e o os benefícios da aproximação entre educadores e empreendedores, participaram da discussão Felipe Correia, fundador da Eduqa.me, plataforma digital para gestão pedagógica da escola, Andrezza Amorelli, diretora do Colégio Elvira Brandão, que fica em São Paulo, e Márcia Padilha, fundadora da Criamundi.

Primeiro a tomar a palavra, Correia lembrou dos primeiros passos da Eduqa.me, quando precisava convencer seu público-alvo que toda a papelada envolvida no dia a dia da escola, da diretoria à sala de aula, poderia ser trocada por um processo totalmente online, até para facilitar a comunicação com os pais. “É um desafio para as escolas mostrar como é o desenvolvimento de linguagem em uma turma de maternal. A Eduqa.me consegue tornar essas informações visíveis para a direção e coordenação e dá agilidade para o professor”.

Para essa mensagem chegasse sem ruídos, a saída foi iniciar uma aproximação virtual (por meio do blog Na Escola) e presencial com os professores, incluindo uma das oficinas Apreender na Prática, em 2016. “A gente só conseguiu chegar a 100 mil visitas ao blog porque sentamos com mais de 150 professores de escolas públicas e privadas para entender as dores que eles tinham e melhorar a plataforma”, disse Correia. Como resultado, a Eduqa.me descobriu certas peculiaridades da vida do professor e preparou suas vendas e entrevistas para depois das 19 horas, quando acaba o expediente nas escolas.

Quem está na escola

Pelo lado do gestor, Andrezza Amorelli, diretora do Colégio Elvira Brandão, que recentemente escreveu um artigo para o Porvir, trouxe a experiência de quem encontrou sobreposição de ferramentas digitais sendo usadas em sua escola e decidiu enxugar a lista de parceiros investigando o porquê de suas escolhas.

O Elvira trabalha baseado em tem três grandes pilares, que orientam todo o projeto pedagógico: metodologia de projetos, metodologias ativas e cultura maker. Para atendê-los, Andrezza admite ser inviável desenvolver ferramentas internamente, mas é possível escolher usá-los como filtro para qualificar a compra.

“Quando a gente vê que existe alinhamento com o propósito, rodamos um piloto. Foi assim que fizemos com a Guten News. Chamamos as professoras, vimos que fazia sentido e colocamos para esse ano”, afirma.

Engana-se, no entanto, quem pensa que o relacionamento entre empresa e escola acaba na assinatura do contrato, que Andrezza chega a comparar a um “casamento”. “Você precisa ter alguém que tenha disponibilidade para viver a experiência da escola. Pacote pronto não adianta. O que funciona são os propósitos e os pilares, porque você não pode parar todos os processos de uma escola para adequá-los à ferramenta”, resume.

Oficinas

Ao final do encontro, Márcia Padilha organizou uma atividade em grupos que simula uma das fases da oficina Apreender na Prática, que foram criadas e prototipadas pelo Inspirare em 2016, em parceria com  Inketa, The Impact Hub e Artemísia. Tratam-se de encontros presenciais estruturados para professores e gestores de escolas conhecerem, avaliarem e validarem soluções de empresas de tecnologia na educação. No recém-lançado toolkit, sua metodologia é compartilhada para facilitar a organização de encontros semelhantes, de forma autônoma, por outras instituições envolvidas no ecossistema de empreendedorismo em educação. Segundo Tatiana Klix, editora do Porvir presente no lançamento, a disponibilização desse material tem o objetivo de ampliar as possibilidades de colaboração entre esses públicos.

Porvir incorpora Apreender, guia de empreendedorismo na educação

20/04/17 //

,

Porvir oferece a partir desta quinta-feira (20) um novo guia temático em seu site, o conjunto de ferramentas e referências Apreender – Empreender na Aprendizagem. O projeto do Instituto Inspirare foi lançado em setembro de 2015, como uma plataforma independente destinada a apoiar empreendedores em educação. Agora, a página reformulada foi integrada ao Porvir e pode ser acessada por três caminhos: diretamente no endereço apreender.org.br, na página de projetos especiais do Porvir ou na lista de conteúdos sobre Empreendedorismo em Educação, em destaque no menu do site.

Apreender no Porvir

A incorporação do guia ao portal Porvir proporciona uma maior integração entre os conteúdos disponíveis em apreender.org.br e as reportagens produzidas pela agência de notícias sobre inovações em educação úteis para empreendedores, como cases de startups brasileiras e internacionais, perfis de empreendedores, notícias sobre oportunidades para startups, estudos e eventos sobre o tema.

Com objetivo de fortalecer o ecossistema dos negócios de impacto em educação, o guia Apreender oferece conteúdos e ferramentas sobre a Jornada Empreendedora, dicas para interação com educadores e implementação de soluções nas escolas, um instrumento para avaliação de impacto, um glossário de atores do ecossistemade negócios sociais e casos reais de empreendedores que compartilham suas experiências e aprendizagens.

O espaço de conexão entre empreendedores e educadores, que era oferecido com o objetivo de levar a visão da escola para as empresas, deixou de fazer parte do guia Apreender e será incorporado pela Plataforma EduTec do CIEB (Centro de Inovação da Educação Brasileira). As startups que já haviam se cadastrado no marketplace da Apreender fazem parte agora do banco de dados da EduTec, que em breve também terá um conjunto de ferramentas que facilitará a interação entre empreendedores e professores e gestores, de acordo com suas necessidades e demandas.

Workshops Apreender na prática

17/09/16 //

Aconteceu no dia 3 de setembro, na Escola Municipal Educandário Dom Duarte, em São Paulo, mais uma edição do workshop Apreender na Prática. O evento cria oportunidades para a aproximar empreendedores e educadores, com objetivo de apoiar o desenvolvimento e o processo de implementação de soluções inovadoras nas escolas.

Ao longo do dia, diferentes atividades foram realizadas para alinhar linguagens e visões sobre inovação no ambiente escolar, promover uma escuta ativa, simular negociações para implementação das soluções na escola e ainda explorar sinergias entre as soluções.

Workshops Apreender na prática dentro do programa de aceleração da Artemisia.

Workshops Apreender na prática dentro do programa de aceleração da Artemisia.

Para o empreendedor Luiz Bissoli, da Escribo, o espaço permite que empreendedores e educadores se encontrem para um bate papo franco e aberto sobre inovação na escola. “Iniciativas como essa deveriam ser mais exploradas. O principal valor gerado no âmbito pessoal foi a de poder comparar a minha visão sobre alguns temas e conceitos de forma aberta com outros empreendedores.”

No dia 16 de setembro, foi a vez de levar a metodologia para dentro do programa de aceleração da Artemisia. Os negócios em educação do portfolio da aceleradora tiveram a oportunidade de ouvir educadores, das redes pública e privada, sobre os desafios de buscar e implementar inovações na escola, com exemplos práticos do que tem dado certo. A partir da escuta, os participantes se dividiram em grupos por área de interesse e debateram sobre processos de validação da solução e pilotos dentro da escola. Ao final, providos de insights valiosos dos educadores, os empreendedores apresentaram seus  pitchs de 3 minutos aos profissionais da área.

Os dois encontros contaram com a participação de 25 educadores e 30 empreendedores, dos estados de Alagoas, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

O espaço de conexão também está presente na nova plataforma Apreender, que oferece um marketplace para cadastro e validação de soluções. Conheça!

Plataforma Apreender lança marketplace de conexão entre empreendedores e educadores

22/08/16 //

No mês de agosto, a plataforma Apreender, do Inspirare, agregou novas funcionalidades. Além da reorganização dos conteúdos e referências, foram criadas novas funcionalidades como a ferramenta de diagnóstico, que orienta o empreendedor na busca de conhecimento, e o espaço de conexão entre empreendedores e educadores para validação de soluções educacionais por profissionais da área. A ideia é estimular que soluções inovadoras cheguem às escolas de forma rápida e eficiente, melhorando o engajamento, a aprendizagem e o desenvolvimento dos estudantes.

“Ao apoiar essas startups estimulamos a criação de soluções educacionais inovadoras capazes de gerar impactos efetivos na qualidade da educação, explica Ana Flávia Castro, do Inspirare. “A ideia é fortalecer os negócios conectando os empreendedores com a ponta, com professores que vivem o dia a dia das escolas. O marketplace vai permitir que profissionais da educação testem, avaliem e validem as soluções criadas pelos empreendedores. Mas não será um espaço de compra e venda”.

Ana Flávia Castro durante Fórum de Finanças Sociais, no Colégio Anhembi Morumbi.

Para Ana Flávia, ainda há um distanciamento entre quem desenvolve soluções em educação e quem precisa resolver problemas reais na área. “É preciso aproximar empreendedores e educadores e construir esse processo de colaboração e interação entre esses dois públicos”, acredita.

O marketplace de Educação foi desenhado pelo Inspirare com vários educadores e empreendedores de negócios de impacto, para assegurar a efetividade da iniciativa, que faz parte da plataforma digital Apreender – empreender na aprendizagem.

insti 2 ana flavia

Conversa sobre educação no Espaço Multiuso do Fórum de Finanças Sociais.

Além dos desafios naturais de empreender, as startups de educação enfrentam dificuldade adicional, vital para sua sobrevivência: mobilizar a comunidade escolar para que, de fato, as ferramentas que desenvolvem sejam usadas pelas escolas. “De que adianta criar um programa excelente que ajuda a ensinar matemática se o professor não usa?”, pergunta Ana Flávia.

Nesse mês de lançamento do marketplace, a Apreender participou de uma conversa sobre Educação durante o Fórum de Finanças Sociais, promovido pelo ICE e Vox Capital, e também esteve no encontro com educadores da Rede ViaE no Colégio Anhembi Morumbi.

Plataforma Letrus

31/05/16 //

O Primeiro Livro, solução voltada ao aprendizado de Língua Portuguesa, entra em uma nova fase. A partir da metodologia pedagógica do projeto, que teve grande repercussão, em 2015, entre 19 professores e 334 alunos de São Miguel dos Campos, em Alagoas, da Fundação Casa e da Escola Municipal Campos Salles, em São Paulo, nasceu a ferramenta Letrus. Solução de auxílio à escrita baseada na web.

Design da plataforma Letrus

Design da plataforma Letrus

Atualmente a plataforma, que está sendo modelada para correção de redações, é testada em sete instituições públicas e privadas de São Paulo, com 475 alunos, e promete gerar diagnósticos imediatos aos alunos, facilitar e acelerar o trabalho dos corretores.

Ao longo desse semestre, os testes ajudarão no refinamento e criação de novas funcionalidades para a Letrus. A expectativa é que em 2017 ela esteja pronta para chegar ao mercado.

Workshop Apreender na prática

31/05/16 //

Aconteceu no dia 7 de maio, no Colégio Elvira Brandão, em São Paulo, o workshop Apreender na prática, promovido pelo Inspirare em parceria com o Impact Hub São Paulo. Participaram da atividade empreendedores, educadores e diretores de escolas públicas e privadas. Além dos representantes do colégio anfitrião, estavam presentes também educadores dos colégios Coc Novomundo, Anhembi Morumbi e a E.E. Padre Sabóia de Medeiros. Entre os empreendedores, estavam os responsáveis por iniciativas como Engoo BrasilEduqa.me, EduqMais, PROVEAporé e Coruja Educação.

Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

A ideia do encontro foi aproximar empreendedores e escolas, gerando oportunidades para compreensão e validação dos desafios do ambiente escolar e para construção conjunta de processos de implementação das soluções nos colégios. Durante as interações, foram testadas ferramentas e orientações que apoiarão a criação de um espaço de conexão online, entre empreendedores e educadores, na Plataforma Apreender.

O Workshop Apreender na Prática trouxe à tona a importância de estabelecer e cultivar a rede formada entre empreendedores, professores e gestores. “Tentar fazer sozinho não dá, acaba consumindo a gente. Ouvir algo que não tinha pensado, estabelecer essa rede, se conectar é muito bom”, declara Betina Dauch, Colégio Elvira Brandão.

Para a empreendedora Maúna Rocha, da Eduqmais, “existe a necessidade de um esforço para entendercomo uma solução pode ser adaptada para a escola, para um determinado contexto. Sei que é difícil personalizar. Mas fica aqui um ponto deatenção.”

Inspirare participa de workshop do Star-Ed Lab da Fundação Lemann e de júri do Startup Weekend Education em SP

14/10/15 //

No mês de outubro, o Inspirare contribuiu para o programa de apoio a startups de edtech (Start-Ed Lab) da Fundação Lemann. O programa, direcionada a empreendedores com produtos em fase inicial, oferece formação, orientação, interação com profissionais da área de educação, e busca formar uma rede colaborativa entre os empreendedores.

Participantes do Start Ed Lab da Lemann. Crédito: Divulgação

Participantes do Start Ed Lab da Lemann. Crédito: Divulgação

Na manhã do dia 13 de outubro, o programa reuniu alguns especialistas para falarem aos 16 empreendedores que participam dessa edição do Start-Ed. A primeira palestra de Maurício Prado, do Plano CDE, trouxe um panorama da população de baixa renda e desafios da educação no Brasil, apontados em vários estudos, como o Projeto de Vida, o papel da escola na vida dos jovens, realizado pelo Plano CDE e Fundação Lemann. Na sequência, Mariana Fonseca, da Mariposa Social, falou de futuro, como o crescimento exponencial das tecnologias impactam na forma como vivemos e as novas configurações de trabalho. Ana Flávia Castro, gestora do Programa Iniciativas Va do Inspirare, apresentou oportunidades e desafios de empreender na área, a partir de vários estudos realizados pelo Instituto e parceiros, e compartilhou aprendizados sobre a implementação de soluções educacionais de base tecnológica em escolas. Por fim, Mila Molina, da Fundação Lemann explorou fontes de pesquisas e dados educacionais relevantes para as startups.

Após as palestras, houve rodas de perguntas e respostas, quando os empreendedores e palestrantes puderem interagir e avançar no debate.

No dia 25 de outubro, o Inspirare também esteve presente no Startup Weekend Education de São Paulo. O encontro, que ajuda empreendedores que querem tirar suas ideias do papel e criar uma startup em menos de 54 horas, contou com 70 participantes que montaram 8 equipes. Os empreendedores tiveram apoio de 16 mentores e uma banca de 10 jurados que escolheram os 3 vencedores.

O Inspirare esteve no júri que premiou as startups Screvi (plataforma de correções de redação), Nov.Educação (plataforma de avaliação de professores) e Enemotion (app que envolve aprendizagem por expêriencia, gamificação e geolocalização) em primeiro segundo e terceiro lugares, respectivamente.

Inspirare lança estudo sobre empreendedores de impacto em educação e plataforma Apreender

29/09/15 //

Realizada em sete capitais – São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis, Maceió, Porto Alegre, Recife e Belo Horizonte – com 50 empreendedores de negócios de impacto em Educação,  a pesquisa “Empreendedores de Impacto: as dores e as delícias de inovar em Educação”, do Instituto Inspirare conduzida pelas empresas Alas e Mariposa, mostra que novos atores têm surgido para se aliar aos empreendedores brasileiros na busca por inovar para solucionar os complexos desafios da educação brasileira. A pesquisa qualitativa traz um completo panorama do ecossistema de negócios de impacto com foco na Educação, abordando desafios; oportunidades; sustentação financeira (fundos de investimento, aceleradoras; investidores-anjo, governo, fundações e institutos) – e as etapas da Jornada do Empreendedor.

A pesquisa serviu de ponto de partida para a construção da plataforma Apreender, empreender na aprendizagem que reúne um conjunto expressivo de referências e recursos capazes de apoiar os empreendedores em cada etapa da caminhada.

Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

Como contribuir para que esses empreendedores sejam mais bem-sucedidos e consigam oferecer soluções de qualidade que ampliem a equidade, qualidade e contemporaneidade da educação brasileira? Essa foi a questão que motivou o Instituto Inspirare a promover a pesquisa Empreendedores de Impacto com o objetivo de investigar e compartilhar os dilemas, alegrias e anseios desses empreendedores. A partir de suas trajetórias – e as etapas da Jornada do Empreendedor – o estudo busca oferecer informações relevantes para os demais atores do ecossistema, incluindo investidores e aceleradoras.

Umas das conclusões da pesquisa é que o ecossistema de impacto em educação está emergindo e aponta para uma falta de visibilidade e de um mapeamento claro  dos atores (investidores, mentores, aceleradoras, institutos etc), principalmente fora de São Paulo, locais onde o ecossistema é menos organizado.

A depender da motivação, das informações e apoios aos quais o empreendedor tem acesso, sua trajetória empreendedora pode ser mais ou menos árdua. Ele pode tropeçar menos e avançar mais à medida que ele reconhece seu perfil, compreende suas potencialidades e riscos e acessa informações e ferramentas que orientam a sua jornada e fortalecem seu negócio. O estudo apresenta dez etapas dessa trajetória, desde a exploração do problema até o estágio de escala de uma solução, com um check list de ações que podem ser interessantes para cada etapa.

O resultado da pesquisa serviu de ponto de partida para a construção da plataforma “Apreender, empreender na aprendizagem”, que reúne um conjunto expressivo de referências e recursos capazes de apoiar os empreendedores em cada etapa da caminhada. “O intuito do material é reunir, em um mesmo ambiente, um conjunto expressivo de referências e recursos capazes de apoiar os empreendedores em cada etapa da sua caminhada. Desejamos que o estudo inspire a todos e que a plataforma seja apropriada e expandida pelo esforço conjunto daqueles que acreditam na importância de fortalecermos a capacidade da sociedade brasileira de gerar soluções inovadoras e transformadoras para a educação”, afirma Anna Penido, diretora do Instituto Inspirare.

Inspirare, em parceria com Fundação Lemann, promove conversa com Henry Hipps, executivo da Gates Foundation

27/08/15 //

No dia 26 de agosto, pós evento Transformar, 12 empreendedores e investidores de impacto em educação participaram de uma reunião na sede da Fundação Lemann com o executivo Henry Hipps, da Bill & Melinda Gates Foundation.

Na ocasião, Hipps detalhou como a fundação americana, que atua de diversas maneiras no setor educadional, procura apoiar o desenvolvimento da oferta e da demanda que, segundo ele, é chave para a construção de um ecossistema no qual as melhores soluções entrem na sala de aula. Em educação, isso significa olhar para empresas que produzem tecnologia e também para o que acontece na outra ponta, com escolas e distritos, tanto os mais inovadores, já aptos para receber plataformas ou aplicativos, ou aqueles que precisam de um trabalho de conscientização. “Estamos começando a olhar para o meio da curva e entender como podemos apoiar a criação de escala para trabalhar com o que acreditamos. É um grande desafio levar transformação à escola e ao professor e fazer com que eles adotem inovação”, diz.

Henry Hipps na Fundação Lemann

Com o objetivo de fazer um raio-x da situação dos distritos escolares, a organização realizou um estudo quantitativo e qualitativo chamado Teachers Know Best (Professores sabem melhor), que foi apresentado por Hipps no Transformar 2015. Além de elencar os aplicativos favoritos da comunidade escolar e segmentar os professores de acordo com o nível de uso de tecnologia, os dados mostram onde estão os buracos no desenvolvimento e de penetração dos softwares educacionais, como aqueles voltados à alfabetização, que existem em número menor que os de matemática, nos Estados Unidos.

Um outro benefício do Teachers Know Best foi jogar luz sobre o que funciona ou não na opinião dos próprios professores. Entre outros destaques, os dados mostraram docentes buscam em primeiro lugar ferramentas que poupem tempo de aula e que tornem tarefas como correção de prova mais rápidas e fáceis.

Hipps ainda discorreu sobre a ausência de soluções que atendam às expectativas de determinadas escolas ou redes. Como nem sempre as inovações chegam no formato e na velocidade desejadas, algumas escolas, cansadas de esperar pela movimentação do mercado, têm decidido criar suas próprias plataformas. Esse é o caso de instituições como Summit, KIPP Chicago, Merit Prep, e Intrinsic Schools.

Outro destaque foi a menção à iniciativa do governo americano de criar polos de inovação em educação em algumas regiões do país. Segundo Hipps, esse é um dos mecanismos ideais para encontrar redes que estão fazendo um trabalho relevante. “Eu amo essa ideia. Esses polos ajudam na qualificação de empreendedores ao mostrar como são as práticas e quais são as ferramentas necessárias”, diz.

Inspirare lança estudo Empreendedores de Impacto e plataforma Apreender

25/08/15 //

“Empreendedores de Impacto: as dores e as delícias de inovar em Educação”, pesquisa do Instituto Inspirare conduzida pelas empresas Alas e Mariposa, mostra que novos atores têm surgido para se aliar aos empreendedores brasileiros na busca por inovar para solucionar os complexos desafios da educação brasileira. A pesquisa qualitativa traz um completo panorama do ecossistema de negócios de impacto com foco na Educação, abordando desafios; oportunidades; sustentação financeira (fundos de investimento, aceleradoras; investidores-anjo, governo, fundações e institutos); modelos de negócio e societário – e as etapas da Jornada do Empreendedor.

Realizada em sete capitais – São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis, Maceió, Porto Alegre, Recife e Belo Horizonte – com 50 empreendedores de negócios de impacto em Educação, a pesquisa serviu de ponto de partida para a construção da plataforma Apreender, empreender na aprendizagem que reúne um conjunto expressivo de referências e recursos capazes de apoiar os empreendedores em cada etapa da caminhada.

Crédito: divulgação

Está em curso no Brasil um movimento transformador em que novos atores têm se aliado aos agentes tradicionais de Educação na busca de respostas para inovar na solução dos complexos desafios apresentados para educar crianças, jovens e adultos. No cerne dessa transformação estão empreendedores de impacto interessados em garantir que cada estudante do país desenvolva as capacidades que precisa para realizar o próprio projeto de vida. São profissionais de diversas áreas, dispostos a criar empresas capazes de aliar sustentabilidade financeira e a promoção de avanços de aprendizagem dos alunos. É sobre essas pessoas – desafios, dilemas e oportunidades envolvidos nessa jornada – que trata a pesquisa qualitativa Empreendedores de Impacto: as dores e as delícias de inovar em educação, coordenada pelo Instituto Inspirare e produzida pelas empresas Alas e Mariposa.

Como contribuir para que esses empreendedores sejam mais bem-sucedidos e consigam oferecer soluções de qualidade que ampliem a equidade, qualidade e contemporaneidade da educação brasileira? Essa foi a questão que motivou o Instituto Inspirare a promover a pesquisa Empreendedores de Impacto com o objetivo de investigar e compartilhar os dilemas, alegrias e anseios de 50 empreendedores de sete capitais. A partir da trajetória desses empreendedores – e as etapas da Jornada do Empreendedor – o estudo busca oferecer informações relevantes para os demais atores do ecossistema, incluindo investidores e aceleradoras.

Umas das conclusões da pesquisa é que a visão do ecossistema de negócios de impacto ainda é turva. Os empreendedores têm dificuldades em identificar quem são os atores e quais papéis cada um deles exerce. Um dos entrevistados da pesquisa revela que “quando iniciamos, nós não tínhamos a mínima ideia deste ecossistema e do quão complexo e difícil ele é”. 

Na plataforma “Apreender, empreender na aprendizagem” estão disponíveis informações para apoiar os empreendedores.  “O intuito do material é reunir, em um mesmo ambiente, um conjunto expressivo de referências e recursos capazes de apoiar os empreendedores em cada etapa da sua caminhada. Desejamos que o estudo inspire a todos e que a plataforma seja apropriada e expandida pelo esforço conjunto daqueles que acreditam na importância de fortalecermos a capacidade da sociedade brasileira de gerar soluções inovadoras e transformadoras para a educação”, afirma Anna Penido, diretora-executiva do Instituto Inspirare.

Inspirare participa de Startup Weekend Education em Recife

01/06/15 //

Startup Weekend

Startup Weekend

A proposta é ousada: em 54 horas, transformar uma boa ideia em um plano de negócios viável. O Startup Weekend, maior evento global de empreendedorismo, que já ocorreu em mais de 600 cidades e reuniu cerca de 120 mil pessoas, voltou a acontecer no Brasil, desta vez em Recife, na Faculdade Nova Roma. Entre os dias 15 e 17 de maio, a educação foi o tema central das atividades, com o Startup Weekend Education (SWEdu). O encontro, que teve o apoio do Inspirare, reuniu 61 pessoas, entre professores, estudantes, designers, empresários e potenciais empreendedores interessados em negócios de impacto em educação.

Criado por uma instituição sem fins lucrativos, a Up Global, e executado localmente por empreendedores voluntários, o Startup Weekend teve uma metodologia diferenciada. Na noite de sexta-feira, ocorreu uma breve fala de abertura. Nela, Ana Flávia Castro, gestora do projeto Iniciativas Empreendedoras do Inspirare, falou sobre tendências como o uso de experimentação, do ensino híbrido e a personalização, e de desafios como a falta de qualidade e equidade na educação brasileira. “Eu quis provocar os participantes para que eles pensassem em projetos e soluções alinhadas às tendências em inovação na educação”, afirma Ana Flávia.

Em sequência, cada participante teve 60 segundos para apresentar sua ideia de negócio no palco. Todos votaram, e as alternativas melhor cotadas foram escolhidas para serem executadas em grupos. Durante o sábado e o domingo, as equipes trabalharam para encontrar um modelo de negócios e construir a primeira versão do produto. Para isso, os participantes puderam contar com a ajuda de mentores, que circularam entre os grupos para oferecer sugestões e fazer críticas. “Foi muito interessante ver como os times estavam abertos a repensar os seus projetos após os questionamentos dos mentores”, diz Ana Flávia. “Assim, eles puderam refinar suas ideias e garantir que elas estivessem realmente conectadas com os problemas que buscavam solucionar”.

Antes de concretizar os planos de negócios e criar sites apresentando os produtos, os membros dos grupos ainda tiveram a oportunidade de ir a campo e fazer pesquisas com alguns usuários, para avaliar se suas propostas tinham aderência. No fim da tarde do domingo, os times apresentaram o que construíram e os três melhores foram premiados.

O projeto vencedor foi o Professor na Rede, pensado para ajudar na criação de planos de aula com maior rapidez por meio do uso de uma plataforma online que agrega conteúdos e exercícios, além de possibilitar a troca de experiências entre educadores. Para o segundo lugar foi escolhido o Approxime, um aplicativo direcionado aos pais dos alunos de Ensino Fundamental I e II, que permite que as famílias insiram no cotidiano da casa atividades que reforcem o que o filho está estudando na escola. E o terceiro colocado foi o Shot Literário, um aplicativo que envia diariamente pequenas doses de literatura como trechos de contos, romances, poesias ou crônicas. “É incrível como sua vida pode mudar em apenas 54 horas. O SWEdu foi a prova disto. Tudo é intenso, rápido e requer muita dedicação e muito trabalho, mas a sensação de poder fazer a diferença na educação é a maior recompensa que um participante pode ter”, afirma Camila Petribú, uma das criadoras do aplicativo.

Ana Flávia também fez um balanço positivo do evento e sua metodologia. “O objetivo não é necessariamente que os participantes saiam com ideias prontas para empreender, mas que eles passem por esse processo de trabalhar em equipe, utilizem técnicas de design thinking para rever problemas e levem essas práticas para a vida”, conclui.

Workshop ajuda a consolidar negócios de impacto em educação

18/05/15 //

Inspirare

Inspirare

O Inspirare e o Porvir, em parceria com o Instituto Quintessa, promoveram no dia 6 de maio uma oficina para 18 empreendedores de 5 negócios de impacto em educação. O objetivo do workshop era apresentar tendências da área, fornecer informações úteis acerca do panorama deste tipo de negócio e promover uma reflexão sobre as práticas adotadas pelas empresas participantes.

“Aprender sobre tendências na área da educação pode auxiliar os empreendedores a perceber potenciais melhorias em seus produtos e serviços, oportunidades de novos produtos e serviços a serem oferecidos e novas estratégias para adotar diante de seus clientes”, explica Anna de Souza Aranha, gestora do Instituto Quintessa. As empresas selecionadas para o workshop já passaram ou preparam-se para passar por um processo de aceleração junto ao Instituto.

A editora do Porvir, Tatiana Klix, abriu o evento falando sobre tendências em educação e deu sugestões sobre como os empreendedores podem adequar as soluções de suas empresas para que elas estejam alinhadas a práticas inovadoras. Em sequência, Ana Flávia Castro, gestora do projeto Iniciativas Empreendedoras do Inspirare, abordou temas ligados ao mercado, como investimentos e desafios para negócios de impacto em educação, fornecendo dados e enfatizando oportunidades e riscos da área.

Após uma pausa para o café, foi feita uma atividade interativa. Nela, os empreendedores avaliaram o estado atual de seus negócios em relação a diversos fatores, entre os quais a clareza do problema que pretendem abordar e a força das soluções empregadas, suas estratégias de vendas, a capacidade de personalização do produto e o uso de tecnologia. Após a avaliação individual, os participantes compartilharam suas opiniões com colegas da mesma empresa. “A ideia da dinâmica é deixar os empreendedores em linha com as principais tendências na educação e promover uma reflexão sobre como eles pensam em inovação em seus negócios”, diz Ana Flávia. “Com esse exercício de auto-avaliação e introspecção, surgem debates e reflexões entre as equipes e fica mais claro para os empreendedores quais aspectos eles precisam trabalhar melhor para que seus negócios sejam não apenas sustentáveis mas também focados em inovação”, diz.

Inspirare participa de seminário sobre parcerias inovadoras em negócios sociais

13/11/14 //

Inspirare

Inspirare

O Seminário Parcerias inovadoras entre investimento social privado, negócios de impacto e setor público, promovido pelo Centro Ruth Cardoso, a Comunitas, o Gife e o ICE, no dia 10 de novembro, no auditório do Centro Ruth Cardoso /SP, reuniu cerca de 90 pessoas para discutir o campo de negócios de impacto e as parcerias inovadoras envolvendo setor público.

A primeira mesa do evento apresentou o mapeamento do setor de investimento de impacto no Brasil, pela ANDE, o modelo de aceleração de negócios sociais do Instituto Quintessa, as ações de fomento ao setor pela Fundação Telefonica Vivo e a Geekie, negócio social em educação e foi mediada pelo Inspirare.  A temática central foi o desenvolvimento e fortalecimento dos negócios de impacto social e como buscar escala pós financiamentos.

Daniel Izzo, da Vox Capital, mediou a segunda mesa do Seminário que teve como foco o aprimoramento das parcerias com o setor público e contou com representantes da CPFL, Instituto Tellus, Tamboro e Saútil.

Os mapeamentos e as ações apresentadas, com envolvimento de múltiplos atores, demonstraram como o campo avançou nos últimos anos no Brasil. Além disso, o surgimento de modelos inovadores de parceria com o governo aponta para um caminho que pode potencializar ainda mais o ecossistema de negócios de impacto social, de acordo com Ana Flavia, representante do Inspirare no evento.

 

Workshop de Educação em parceria com a Artemisia

17/10/14 //

Artemisia
             Artemisia

Trabalhar demandas específicas de startups de educação foi o objetivo do Workshop de Educação, realizado pelo Artemisia em parceria com o Inspirare, nos dias 10 e 11 de outubro, na Faculdade de Informática e Administração PaulistaFIAP.

Inovações, tendências, produto e distribuição foram os principais temas abordados no encontro promovido para oito negócios de educação que estão sendo aceleradas pela ARTEMISIA.

Além das palestras de Cláudio Franco (diretor de marketing da Mind Lab) e Olavo Nogueira (representante da Secretaria de Educação do Estado /SP), os empreendedores apresentaram os seus negócios e tiveram a oportunidade de receber feedbacks de uma banca composta por especialistas que atuam no setor de educação: Rangel Barbosa (Fundo Alere); Flávia Goulart Pereira (Fundação Lemann); Cristiana Assumpção (Colégio Bandeirantes), Luis Fernando Guggenberger (Fundação Telefônica), Aline Porto ( Fundação Ayrton Senna) e os dois palestrantes do evento.

Ter empreendedores mais apropriados das inovações educacionais e dos canais para alcançar redes públicas, potencializando assim os impactos sociais destas startups, é o resultado esperado pelos organizadores do Workshop

Inspirare no ESPM-ICE Social Business Challenge

14/10/14 //

O Instituto Inspirare participou do Workshop ESPM-ICE Social Business Challenge , promovido pela ESPM-SP e o ICE – Instituto de Cidadania Empresarial, nos dias 10 e 11 de outubro, que teve como foco a educação. O evento mobilizou os alunos do ensino médio da rede pública e da graduação da ESPM, da FEA-USP, FGV, Insper, SENAC e Unicamp

Os estudantes trabalharam quase 20 horas, cercado por especialistas e empreendedores, tentando responder a um desafio: como desenvolver um negócio lucrativo que tenha como foco a melhoria da educação do Brasil.

MATERIA ANA ESPM
                   Divulgação

Ana Flávia Castro, gestora do Programa Iniciativas Empreendedoras do Inspirare, participou da banca examinadora do evento e acredita que os estudantes se mostraram muito engajados em criar soluções em linha com desafios relevantes da área, como sustentabilidade, engajamento de alunos e formação de professores.

A iniciativa teve por objetivo despertar e fortalecer o espírito empreendedor dos estudantes. Além de oportunizar que suas ideias sejam transformadas em negócios que gerem impacto social em escala e sejam financeiramente sustentáveis.